esclerose múltipla

Esclerose múltipla não é doença de idoso, apesar da confusão

Pesquisa realizada pelo Ibope com 1026 pessoas em todo o país comprovou o que os neurologistas já verificam nos consultórios ao diagnosticar a esclerose múltipla. Para 70% dos brasileiros, a esclerose múltipla que atinge duas mulheres para cada homem na fase mais produtiva da vida (entre 20 e 40 anos), ainda é confundida com a demência, (problema típico da terceira idade, caracterizado principalmente pela perda gradual de memória).

A pesquisa, realizada com apoio da Biogen Idec, companhia de biotecnologia líder em pesquisa e desenvolvimento de novas terapias para o tratamento da esclerose múltipla, revela também uma triste realidade: o desconhecimento e a falta de informação levando, muitas vezes, ao diagnóstico tardio de uma doença para qual o tempo é sempre um grande vilão no resultado do tratamento.